terça-feira, 15 de maio de 2012

Mesmo na chuva, mesmo na lama


É bom demais um “Delírio de Amor”

A principal atração do último domingo no Hipódromo da Gávea foi a Prova Especial Courageuse, em 2.000 metros, grama. No campo de nove competidoras, muito equilíbrio, sem um nome de grande destaque. A chuva começou a cair logo após o primeiro páreo e a pista verde ficou literalmente pesada. Após a partida, revezamento na liderança entre Confidential Lady, Victoria Beach, Duplo Dê e Glorfindel. Na entrada da reta, Confidential Lady tentou manter a primeira colocação mas após insistente ataque, Duplo Dê dominou a prova. No entanto, quando a defensora do Haras São José da Serra parecia a vencedora surgiu com forte atropelada, cheia de lama, Delírio de Amor, do Stud Capitão. Passou sem luta e venceu uma linda carreira. Direção precisa de Valdinei Gil, um dos jóqueis com melhor cálculo de carreira do nosso turfe. Preparo caprichado de Cláudio Paixoto Almeida, meu amigo “Magrão”. A ganhadora, por Eyjur e Janadine, criada pelo Stud Eternamente Rio, obteve a quarta vitória em nove apresentações. Parabéns ao amigo Luiz Edmundo Cardoso Barbosa.

Umbu “azedou” os favoritos

Tradicionalmente do nordeste, Umbu é uma fruta muito apreciada, embora o gosto um pouco azedo. Bom, como isto aqui não é uma coluna de culinária, vamos falar sobre a Prova Especial Antonym, terceira etapa da Taça Quati, em 3.000 metros, grama, destaque da corrida do último sábado no Hipódromo da Gávea. Os favoritos eram Olympic Leader e Decrire, ambientados no percurso longo. E os dois competidores se revezaram na liderança desde a largada. Corrido na última colocação por Edson Ferreira Filho, Umbu apenas assistia de longe a “briga” na frente. Na entrada da reta Decrire “sentiu” e seu piloto o foi sofreando. Quando Olympic Leader parecia com o páreo dominado, logo surgiu Umbu, numa atropelada incerta, abrindo inicialmente e depois se jogando para dentro. Dominou a prova sem luta e venceu com autoridade. O ganhador, que pertence ao Stud Acqua Azul, foi apresentado pelo mestre Dulcino Guignoni, que aliás fez a trifeta do páreo, uma vez que Tank Boy foi o terceiro colocado.

São Paulo realiza sua maior festa

O Jockey Club de São Paulo realiza sua maior festa esta semana, culminando com a disputa do GP São Paulo, prova de Grupo I, em 2.400 metros, marcado para a tarde de domingo. Três programações espetaculares, formadas por 34 provas serão realizadas no fim de semana. A atração principal tem campo numeroso e, talvez, o mais equilibrado dos últimos anos. Difícil apontar um favorito entre alguns dos melhores corredores da Gávea e de Cidade Jardim. Nas outras carreiras de Grupo I, com exceção do quilômetro, onde Berlino Di Tiger é um nome de destaque, também o equilíbrio é marcante. O matungo aqui deseja sucesso absoluto à diretoria do Jockey Club de São Paulo na realização de sua semana máxima e aos amigos da TV Jockey, um excelente trabalho. Não fossem as obrigações profissionais, certamente estaria em São Paulo para assistir de perto a grande festa. Mas estarei torcendo e ligado pela televisão.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

O despertador é um acidente de tráfego no sono." (Mário Quintana)
Rapidinhas

* Vai pegar fogo a estatística de jóqueis nestes 45 dias que restam para o fim da temporada hípica. No último conjunto de programas Dalto Duarte venceu 11 páreos e Vagner Borges 9, sendo seis no domingo. O placar atual é de 222 a 213 em favor do líder. Portanto, diferença de nove vitórias.

* A delegação carioca para a maior festa do turfe bandeirante é bem grande. Treinadores, jóqueis e proprietários querendo fazer a festa. Provas sensacionais que vão empolgar o público, com certeza.

* Leilões continuam bombando, mostrando que o turfe é forte sim senhor. Hoje na Gávea e no resto da semana em São Paulo. Haja grana e disposição para analisar catálogos. Tem pra todos os gostos e bolsos.

* Se é que existe “casamento perfeito” no turfe é o que podemos chamar o que vem acontecendo com o cavalo El Malo e o aprendiz Juan Gomes. Conhecido “carroção”, com o garoto o defensor do Stud das Meninas já corre entre os primeiros e ganhou duas seguidas, para a alegria da treinadora Cristina Resende.

* Por falar em aprendiz, já está voltando o Anderson Paiva, que teve o inicio meteórico interrompido por uma suspensão em razão de falta de peso. Será mais um reforço para treinadores e proprietários.

* Ricardinho muito perto de voltar ao topo do ranking mundial. É uma questão de semanas. Depois que assumir o primeiro lugar vai ser difícil para o canadense retomar a liderança.

* O tal de Funk American trabalha bem e não confirma. Está inscrito no domingo, vai de Lasix pela primeira vez e caso resolva correr o que treina, pode surpreender. Correu cinco vezes e se colocou, mas não anima.

* Como escrevi semana passada, Fluminense e Santos foram campeões.


O MATUNGÃO VIBROU

Já tinha passado pela mesma situação com a Japyhara, mas confesso que é duro narrar a vitória de um cavalo da gente sem poder torcer. O profissionalismo fala mais alto, mas repito, é muito complicado. E aconteceu na última sexta-feira, quando Tanios dominou o páreo perto do disco, livrando pequena vantagem. Quem me conhece sabe que quando vence um cavalo meu faço muito barulho e a emoção é maior que a racionalidade. Mas, quis o destino que eu tivesse que passar por isso novamente e vou acabar acostumando. A emoção de passar na frente é algo que não tem explicação. Ganhei o páreo para 5 anos sem vitória, mas pra mim foi Grupo I. Sou pequeno proprietário e tenho cavalos desde 1974. É o que posso ter e pra mim está bom demais. Quero agradecer ao Dalto Duarte pela belíssima direção e a toda equipe: Junior Pedersen, o cavalariço Fabiano, ao veterano Dodô, a veterinária Daniela Bartoli e ao Tanios por mais esta alegria. Vibrei muito e estou curtindo demais.

O MATUNGÃO VIBROU (II)

E a vibração continuou na semana com o batismo de vitória do stud de um amigo. Sei que gosta de cavalos e sempre torceu e vibrou pela coudelaria de seu pai, outro grande amigo e tradicional proprietário há muitos anos. Estou me referindo a primeira vitória do Stud Better, na segunda-feira, através do cavalo Blue Phone, em mais uma direção perfeita de Dalto Duarte. A alegria ficou por conta de Bruno Beloch, que adquiriu recentemente o corredor e o manteve aos cuidados de outro amigo, o treinador José Ferreira dos Reis, o “Reisinho”, que há muito brilha na profissão e não é somente lembrado por ter sido o “jóquei do Itajara”. Na foto da vitória, Bruno, seu irmão Marcelo (Tela) e amigos. Faltou Carlinhos, que de casa deve ter vibrado muito e Priscila, que de longe torceu pela internet. Valeu Bruno...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.

Um comentário:

Iguacuano disse...

Marco Aurélio, não nos conhecemos, mas sigo o blog algum tempo e chega ser engraçado como nos comportamos... Sou fa das suas narrações e do Blog, parece ate q somos amigos e vibrei na última sexta feira c/ a vitória do seu animal como se fosse meu ou de um grande amigo. Parabéns pelo excelente trabalho realizado tanto aqui como nas transmissões, sou seu fa. Saudações Vascaínas.